quinta-feira, 7 de abril de 2016

Bate-Papo #7 - Uma Carta Aberta a Quem Quiser Ler: Desabafos e Divagações Sobre Mim, a Vida e Minha Cabeça Doida

Oi gente...
Tudo bem com vocês?
Espero que sim ^^

Bom, o post de hoje será um pouquinho diferente. Na verdade eu nem sei bem por onde começar. Mas vai ser mais um desabafo mesmo.

De vez em quando eu meio que sumo do blog, de algumas redes sociais, da vida social... rs
E por isso tô fazendo esse texto. Pra contar pra vocês como eu me sinto. Não é querer dar explicação nem satisfação de nada. É mais como uma carta aberta a quem me segue e quem me conhece pra entenderem e me conhecerem um pouquinho mais. É o tipo de coisa que ninguém é obrigado, só faz se quiser mesmo, portanto já aviso aqui de uma vez que se não tem interesse em me conhecer, saber um pouco de mim e do que passa pela minha cabeça, já pode parar de ler por aqui mesmo, ok!? Sem mágoas ou ressentimentos... rs

Enfim, eu não sei bem como começar, então vou começar com esse print que eu dei de um post que eu vi no face outro dia e que senti descrever momentos meus.


Eu não gosto de brincar com coisas desse tipo. Sei bem que depressão é uma doença muito séria e que precisa de muito cuidado. Não estou aqui pra falar que tenho depressão porque ultimamente está cool ser depressiva. Não mesmo. Eu acredito não ter depressão, aliás. E também acredito que minha ansiedade não esteja num nível a ser considerada uma doença, mesmo eu sendo muito ansiosa e isso me atrapalhando algumas vezes. Mas enfim, compartilhei essa imagem não porque eu acho ter depressão, mas porque esse sentimento que a moça descreve no texto é muito próximo do que eu sinto muitas vezes. E esse é o motivo de às vezes eu sumir de algumas lugares, reais ou virtuais. Principalmente aqui do blog.

Quando eu criei o blog eu andava numa fase muitooo bad da vida. Eu simplesmente não tinha vontade de fazer nada. Eu agia no modo automático, essa é a verdade. Só vinha trabalhar porque eu realmente precisava do dinheiro no final do mês. Mas eu não tinha vontade sequer de levantar da cama pra nada. Todo tempo que eu tinha livre eu queria estar dormindo. Como se aquilo fosse me aliviar da chatice/tédio/monotonisse/sacrifício/obrigação de estar viva. Então fiz o blog como uma distração, um passatempo que me fizesse reagir de alguma forma. E fui gostando muito desse espaço. De escrever por aqui. De acompanhar os blogs que comecei a seguir a partir de então. De conhecer pessoas novas. E no começo funcionou bem, sabe. Mas aquela sensação bad de antes não me abandonava. Eu sentia que ela estava apenas adormecida. Só que às vezes ela acordava com tudo. E quando isso acontecia era com se eu carregasse um peso de uma tonelada nas costas. Eu estava extremamente cansada emocionalmente e psicologicamente... e daí o sumiço...

Infelizmente, eu sou uma pessoa muito sensitiva. Sensitiva no sentido de, por exemplo, estar num trabalho que eu não gosto, mas preciso e aquilo ficar me atazanando diariamente. Muitas vezes eu me sinto como se tivesse um relógio em cima da minha cabeça dizendo "tic, tac, tic, tac, seu tempo tá passando... você não está indo a lugar nenhum... enquanto você está aí no seu trabalho que você não gosta, a vida tá correndo lá fora e você ficando velha. Daqui a pouco será tarde de mais pra correr atrás do que realmente gosta. Daqui a pouco será tarde de mais pra qualquer coisa. Hellooo!? Tem alguém aí?". E essa sensação é horrível sabe!? Me sinto presa, paralisada, entorpecida. Porque a verdade é que eu nunca sei o que fazer.

Cruelmente, somos induzidos a viver de acordo com um sistema que quer escravos para as grandes corporações. E, consequentemente, nos ensina a ter medo de ousar e sair daquele empreguinho medíocre, porque precisam da nossa mão-de-obra escrava barata pra poderem continuar ganhando mais e mais. Sem falar que um povo enjaulado não tem tempo pra pensar e se rebelar contra o sistema. Continuam sendo marionetes de algo que sequer imaginam. Claro, existem as exceções, os que conseguem se soltar dessas cordinhas astuciosamente amarradas em nossos braços e pernas e cabeça para tornarem a própria vida melhor, mas isso não é fácil, sabe porque? Porque é tudo sistematicamente planejado para que, apesar das exceções, tudo continue igual.

"Se você sair do emprego você não vai ter dinheiro" eles falam. "Você precisa de dinheiro para pagar suas contas" eles falam. "Você precisa de dinheiro para ajudar sua família" eles falam. "Sem dinheiro você não pode fazer nem as coisas que você gosta" eles falam. E continuam falando essas coisas o tempo inteiro. Não diretamente na sua cara. Algumas vezes sim, mas normalmente é mais sutil. Uma ideia empregada na sua cabeça aos poucos. Para você achar que aquilo é normal. A vida girar apenas em torno do dinheiro é normal. Mas não deveria ser, né!? Porque temos que pagar até pela água que consumimos se a natureza nos dá ela de graça? Porque as pessoas acham que são donas do que a natureza nos dá de graça? Sinceramente, não dá nem pra entender. É muita presunção...

Mas enfim, já comecei a desviar até o foco do meu desabafo, olhem só. Divagar sobre a gente é assim mesmo né. Somos pequenos universos. Complexos e, muitas vezes, ininteligíveis...

Mas como eu tava falando, sou sensitiva nesse sentido. Das coisas ficarem me atazanando a cabeça o tempo inteiro e isso acabar me paralisando em todos os sentidos. É como se eu fizesse muitas coisas pra sair do lugar e finalmente poder chegar onde quero, mas no final das contas o que eu fizesse de nada adiantasse. Aliás, é como se piorasse a situação e eu apenas ficasse cada vez mais presa e andando pra trás. E pra piorar, sabe o que acontece? Muitas vezes eu nem mesmo sei onde eu quero chegar. Então o que eu posso fazer pra sair do lugar? A única coisa que eu sempre sei é que do jeito que tá, não tá bom. Nunca tá bom...

Todas as vezes que eu tenho essas crises (existenciais?) eu sempre penso uma coisa, como eu gostaria de ser que nem a maioria das pessoas. Que continuam sendo engrenagens de um sistema falido sem nem perceberem. Sem nem questionarem nada. Apenas aceitando tudo do jeito que é e se conformando com aquilo. Mas bem já dizia Einstein por aí, "Quando uma mente se abre a novas ideias ela jamais retorna ao seu tamanho original". E assim é pra tudo na vida. A partir do momento que você passa a questionar as coisas essa tendência só vai crescendo e você nunca mais volta a ver as coisas com os mesmos olhos. O mundo corrompe a gente o tempo inteiro. Ele acaba com nossa pureza, com nossa vitalidade, com nossa vida, literalmente...

Olha só, mais uma dessas imagenzinhas que descrevem esse sentimento que tô tentando explicar nesse post que já tá virando testamento... rs

Enfim, não irei me prolongar muito mais. Resumindo tudo, eu sumo dos lugares, principalmente do blog, porque me sinto travada o tempo inteiro por "ser obrigada" a fazer coisas que eu não gosto. Isso me deixa aflita, triste, paralisada. Só pra vocês terem uma ideia, comecei esse post, travei, depois de alguns dias estou aqui novamente pra tentar terminar. Eu me sinto desmotivada a estar aqui, mesmo com pessoas lindas me visitando. Me sinto desmotivada a fazer qualquer coisa. Como se nada fizesse sentido. Pra quê tudo isso se eu vou morrer qualquer dia desses mesmo? Ao mesmo tempo que vem na cabeça aquele pensamento "E daí que vai morrer um dia, pelo menos aproveite ao máximo enquanto tá nesse plano". E tudo isso misturado com aquela sensação de estar carregando um peso e querer chorar do nada enquanto tá viajando na maionese. Enfim, chega né. Daqui a pouco eu só confundo vocês mais. Desculpem pelo desabafo. Mas me fez bem. Me aliviou. Um pouquinho.


Beijos e até o próximo post! ;***



♥ Se gostou desse post, não se esqueça de seguir o blog e deixar seu comentário.
Assim você me ajuda na divulgação! :) ♥

Me siga nas redes sociais:
Follow me on the social medias:
| Facebook | Instagram | Youtube | Tumblr | Lookbook | Twitter |

26 comentários:

  1. Eu adorei o desabafo, espero de coração que você fique bem pois, apesar da gente nunca ter conversado ou se visto pessoalmente, eu consigo ver pelas fotos e pelo o seu blog o quanto você é uma pessoa doce. Espero que também saibas disso e que isso melhore seu dia. Boa sorte!

    Beijos, Menina Borboleta.

    meniborboleta.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah sua linda... ♥
      Eu também vejo em você uma pessoa especial, mesmo a gente não se conhecendo. Sei lá porque, mas sinto isso vindo de você. Obrigada, viu!? Melhorou meu dia sim ^^
      E fico feliz que tenha gostado do desabafo, mesmo sendo algo bem pessoal.
      bjin

      Excluir
  2. Acho bom esses questionamentos,já passei por muitas crises existenciais como essa,pq tbm não aceito o roteiro que a sociedade impõe,é um jugo muito pesado onde a busca pelo dinheiro e pelo "conforto" que vc "precisa" ter acaba destruindo o emocional,e gastamos nossos melhores anos para alcançar esse nível de sucesso.
    Eu particularmente não me encaixo,escolhi viver de forma simples financeiramente falando,mas vivo num ritmo mais calmo e posso desfrutar de alguns prazeres que para mim são valorosos.
    Mas essa escolha tbm me priva de algumas coisas que envolvem grana,mas eu sou consciente da minha escolha,e acho q precisamos pesar isso,se eu não sei viver sem dinheiro,sem coisas caras,etc, infelizmente eu tenho que me render ao sistema :(.
    E é exatamente como vc falou,quem questiona,vai estar sempre nesse processo e vc sempre vai encontrar situações,pontos onde vc vai querer debater e questionar,acho q isso não tem cura rs.
    enfim,espero que vc se encontre,e que vc tire o melhor de seus questionamentos,isso é crescimento.
    Indico vc procurar um cara no youtube,que eu sou muito fã,um exemplo de vida para mim,quando ele fala parece que está lendo meus pensamentos,Eduardo Marinho.
    Vc é uma pessoa incrível!
    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente isso Giovana! E aí quando você chega nesse nível de "sucesso" você simplesmente já não tem mais motivação nem ânimo pra nada, porque tudo isso foi consumido ao longo dos anos que você esteve presa àquele roteiro. É muito cruel...
      Me encaixar eu também não me encaixo, mas a verdade é que não sei o que fazer pra mudar isso. Se até pra gente ter um cantinho pra chamar de nosso a gente precisa passar por isso pra conseguir o dinheiro pra comprar uma casa, é complicado...
      Pois é.. infelizmente tudo gira em torno do dinheiro, então se for pra largar mão dele é preciso ter consciência que vamos nos privar de muitas outras coisas.
      Sim sim. Sem cura, sem voltar atrás. Depois que começa, já era. Vira uma onda... rs
      Obrigada! Também espero isso! :)
      Obrigada pela dica também. Vou procurar os vídeos dele sim.
      Você também é uma pessoa incrível! ♥
      bjin

      Excluir
  3. Muito bom o post.
    Recentemente alguns amigos me perguntaram como me sinto quando a depressão e a ansiedade atacam. Bem, com não sou médico ou psicólogo, escrevi uma historinha para tentar explicar-lhes. Gostaria de reproduzi-la abaixo.

    "Um navio pirata e a depressão

    A depressão é como um navio com velas negras, que quando aparece faz com que o mundo fique em silêncio.
    Imagine uma pequena cidade a beira mar. Nesta cidade todos trabalham diariamente com muita energia. Alguns pescam, outros vendem pães, ovos e verduras, outros consertam barcos e carroças. As crianças brincam pelas ruas, pois não há muito movimento e perigo. Ao anoitecer, é possível ouvir música nas tavernas, algumas pessoas andando pelas ruas, casais apaixonados observam as ondas no mar e a lua ilumina a enseada.
    E assim todos os dias os habitantes vivem com muita luz e alegria, neste lugar maravilhoso do litoral.
    Mas, de vez em quando, um navio com velas negras chega ao porto. Um navio pirata. Os piratas entram na cidade, bagunçam e saqueiam tudo com muita violência. As pessoas se escondem e o movimento cessa.
    Neste dia não é possível ver ninguém nas ruas, apenas a bagunça deixada pelos piratas. A noite, não se ouve música. Todos estão em casa com medo. Com as luzes apagadas, em silêncio e esperando o amanhecer. Até mesmo o mar está morto nesta noite. Não se vê nenhuma onda. E a lua está entre nuvens.
    As cidades vizinhas não acreditam nesta história. Acham que é invenção das pessoas. Não são capazes de acreditar que uma tripulação de qualquer navio possa causar tanto mal. Acham que os moradores daquela cidade estão inventando histórias e desculpas para não sair de casa ou trabalhar... Consideram apenas uma bobagem, pois nunca passaram por isso. Nunca avistaram tal navio.
    Nunca se sabe quanto tempo o navio ficará por lá. Podem ser dias, semanas, meses... E todo este tempo, a cidade está em silêncio. Não há energia, não há trabalho, não há luz...
    Mas em certo momento o navio vai embora, e a cidade recomeça a sua vida... A mesma energia, alegria e disposição. Crianças brincando, os trabalhadores para cá e para lá... E todos sentem-se seguros novamente, com a certeza de que nada de ruim poderá acontecer. Que todo o mal está longe.
    Até que um dia, quando menos se espera, o navio com velas negras chega novamente ao porto..."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa Leonardo, é bem assim mesmo... e o que mais me incomoda nisso tudo é a falta de empatia das pessoas.
      Complicado alguém julgar algo que não pode sentir, né!?
      Muito bom o texto. Obrigada por compartilhá-lo com a gente.
      bjin

      Excluir
  4. Ah, Mone, que triste!
    Espero de coração mesmo que você se motive, que volte a ter alegrias e motivos para viver.
    Fico do lado de cá torcendo por você.
    Eu já tive uma fase muito ansiosa, mas passou e hoje vivo mais tranquila, então espero que você passe dessa fase logo logo.
    :D
    E pode sempre contar com os amigos de blogs, mesmo que só virtuais, como eu.

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Teca, sua linda! ♥
      Eu fico torcendo pra essa fase passar rápido também, viu!? rs
      Infelizmente não tem muito que eu posso fazer além de tentar me controlar e deixar o tempo resolver... ^^
      bjin

      Excluir
  5. Espero que fique tudo bem contigo, Mone!
    Acho que consigo entender o que tá acontecendo com você, o mês de fevereiro representou um tempo tempestuoso na minha vida e minha cabeça ficou abarrotada com esse monte de pensamentos dissonantes...
    Não acho que haja uma solução pra nos livrar desses males definitivamente, mas uma lição que estou praticando é a paciência... Sou uma pessoa calma e bem paciente com as pessoas/coisas, mas não costumo estender isso a mim e é isso que estou procurando fazer agora.
    Hoje, estou melhor, mas sei que tem dias que não estarei e tá ok. A gente tem que aprender também a se respeitar e não se pressionar tanto, é difícil, mas não impossível... O importante é ir exercitando a cada dia.
    Beijo grande e até mais, sua linda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Thays!
      Realmente, muitas vezes chego a essa conclusão também de que não tem jeito de se livrar desse tipo de coisa. Infelizmente, ao contrário de você, eu já não sou muito paciente. Com nada, inclusive comigo. Mas você tá certa, precisamos praticar esse tipo de coisa pro nosso próprio bem. Eu tenho tentado ir me controlando aos poucos. É o que dá pra fazer, né!? E o dia que não dá, eu simplesmente sento e choro. Até passar. Melhor assim.. rs
      Como você mesma disse, a gente precisa se respeitar mais e se pressionar menos.
      bjin

      Excluir
  6. Mone, li todo seu post. Eu fiz até uma postagem no meu blog, sobre ansiedade, não sei se você chegou a ler lá. Mas sabe, eu sofro com isso desde muito muito nova, e é algo que não sai de mim. Eu tenho que apenas tentar levar minha vida controlando ela. Eu acho que consigo ser forte o suficiente para encará-la sozinha. Mas muita gente não consegue, e uma ansiedade "mal curada" ou "nao curada" pode acarretar várias outras doenças. Então se cuida menina, não tenha medo ou vergonha de procurar ajuda se achar necessário.
    Não me orgulho nem um pouco da minha ansiedade, mas já virou uma característica minha, só eu que sofro sei o quanto ela as vezes consegue ser forte e quase me derruba, mas eu sempre dou a volta por cima... Se algum dia quiser desabafar sobre isso, conversar sobre... pode me procurar no face viu?

    www.memoriasdeumaguerreira.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma postagem mais recente? Se for, não li. Como eu disse, ando travada pra tudo, até mesmo pra acompanhar os blogs que eu sigo... :/
      Poxa, complicado né.. até o momento eu acho que tenho tido força o suficiente pra ir levando sozinha, mas também não tenho vergonha de procurar ajuda se eu ver que tô precisando. Mas eu sempre me virei bem sozinha, afinal é isso que somos nesse universo, não!? ^^
      Só a gente mesmo sabe como é, né!? Não adianta... e obrigada! Se precisar, também pode me chamar pra conversar sempre! ♥
      bjin

      Excluir
    2. Desculpe a demora em responder, vou deixar o link aqui pra você ta? http://memoriasdeumaguerreira.blogspot.com.br/2016/03/uma-pessoa-que-sofre-de-ansiedade.html

      Excluir
    3. Sem problemas ^^
      Vou lá ver! Obrigada!
      bjin

      Excluir
  7. Se precisar sabe que é só chamar , seu post me fez refletir muita coisa ,não sei o que falar ,apenas pensar....

    http://jessicavenenoofficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que mesmo meu post sendo bem pessoal tenha te feito pensar. Gosto disso ^^
      E muito obrigada! Sempre que precisar, pode contar comigo também, mais bela flor do Jardim! ♥
      bjin

      Excluir
  8. Bom dia! Tudo bem?
    Entendo bem isso, já passei por um momento que não foi nada bom, bem assim!
    Mas espero que consiga superar, tô torcendo por vc!
    Passando pra retribuir o carinho lá no meu blog.
    Volte sempre!
    www.espinhapunk.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Joia e você?
      Obrigada, viu!? ♥
      Mas esses momentos fazem parte da vida né. Tem dia que a gente tá bem, tem dia que não... ^^
      Volte sempre por aqui também!
      bjin

      Excluir
  9. Amei o post flor, mas estamos todas juntas hien ♥
    beijos
    http://www.tatycamposblog.com/

    ResponderExcluir
  10. Percebi que estava meio sumidinha mesmo Mone, fez muito bem em desabafar, faça mais vezes quando sentir vontade, alivia a alma :)
    Vou falar um pouco aqui, sobre uma situação parecida que já passei. Eu trabalhava em uma loja na minha cidade, 6 horas por dia, foi logo no inicio da faculdade e era uma correria total, nem almoçava pra conseguir entrar no horário certo, mas o que mais me irritava na loja era o gerente, que era muito mas muito chato. Até que comecei a procurar outro serviço, que ganhasse mais e que tivesse o horário bom que desse pra eu continuar com a faculdade na parte da manhã. Pois bem, mandei curriculum e acabei achando em uma farmácia, uma rede grande de farmácia, fiz entrevista e passei, no começo muito animada e iludida né? haha pensava: ''Agora sim estou no emprego dos sonhos, ganho mais, gerente é boazinha, dá pra continuar com a faculdade, beleza!'' a ilusão durou uns 8 meses, você acaba vendo as coisas erradas sabe? povo passando por cima dos outros pra querer crescer, as famosas cobras, o tanto de coisa errada que a empresa fazia e você acabava na situação de escravo mesmo sabe? trabalhar as 14:00 as 23 hr de pé, sentava só na hora da janta, não pagavam feriado, trabalhava todos os finais de semana e feriados, sistema lerdo onde você acabava levando chingo desnecessários de clientes, etc! Isso tudo foi me desanimando de uma maneira que nossa, é como você mesma disse, não tinha mais prazer em fazer aquilo, não queria levantar da cama pra ir trabalhar, já cheguei a trabalhar chorando por não querer estar ali e ao mesmo tempo ser obrigada a estar ali, pois tinha a faculdade pra pagar e meu pai não tinha condições de pagar sozinho. Até que a faculdade resolveu aderir o Fies, e pensei, é a minha chance né? Se conseguir o fies posso sair desse inferno. Consegui o fies mas não pedi a conta, falei com a gerente e deixei bem claro pra ela o quanto eu tava infeliz ali, mas que eu não pediria a conta, se eles quisessem eles teriam que me mandar embora, porque eu ia precisar do $ pra me manter até terminar a faculdade e juntando com o dinheiro que eu sempre guardava, daria pra me manter. Enfim, comecei a não ir mais trabalhar nos finais de semana e feriados, é feio fazer isso mas foi a única opção que vi pra eles me mandarem embora, porque se eu continuasse trabalhando certinho eles não me mandariam embora nunca. Até que um dia a carta de alforria chegou hahahaha. Abri mão de várias coisas, deixei de comprar muita coisa que eu queria pra comprar só o que eu estava precisando mesmo, meus pais sempre deram tudo o que eu pedi mas eu nunca me senti confortável em ficar pedindo as coisas pra eles sabe? Então eu preferia economizar o máximo pra nao ter que pedir nada pra eles. Ainda não consegui arrumar um emprego na minha área, pensei em arrumar em comércio pra ter um dinheirinho mas ai vem na minha cabeça minhas péssimas experiências e desisto. haha Por enquanto tô me mantendo com um pouco de dinheiro que eu tinha guardado ainda e com um dinheirinho que o yt rendeu nos últimos meses, tô me virando! Veio uma ideia esses dias de fazer alguma coisa em casa pra vender pra eu conseguir pagar meu curso de pilates, pq na minha área infelizmente se você não tem curso não tem emprego e assim vai indo. De vez em quando o desespero bate (principalmente quando você quer começar a construir sua vida com o seu companheiro), o desanimo tbm, a sensação de que nada vai dá certo aparece mas a gente vai seguindo. Enfim, escrevi tudo isso pra você ver que muita gente passa por isso tbm, e você é nova e mais nova do que eu haha, então meu conselho, é que agora é a hora de você se arriscar e buscar o que te faz feliz sabe? Sei que não sei nada da sua vida e pelo o que você passa na sua casa mas é só arriscando mesmo é que a gente vai saber. Sempre temos o sim e o não, e a gente só vai saber a resposta se arriscar, se der certo beleza se não der continua tentando, é assim a vida pra todo mundo, infelizmente. Espero que minha experiencia tenha te ajudado um pouco nesse momento dificil, e desculpa o texto enorme haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não precisa se desculpar pelo tamanho do texto Grazi, amei você ter compartilhado sua experiência e opinião aqui comigo. ^^
      Obrigada! ♥
      Eu tenho pensado muito nisso tudo que você acabou de falar, sabe? Sobre largar o emprego e abrir mão de certas coisas pra ter paz de espírito. Acho que tem coisas na vida que valem mais, muito mais do que o dinheiro. E pra ajudar no básico pensei em fazer alguma coisa em casa também pra vender. Só não sei bem o quê ainda, mas sei que vou achar uma solução.
      E sinto muito pelas suas péssimas experiências com empregos. Desejo que você encontre uma vaga que te faça muito feliz e realizada, com boas companhias de trabalho. ^^
      E só uma observação, eu não acho feio fazer o que você fez pra eles te mandarem embora não. Feio foi o que eles fizeram com você, com outros funcionários e o que a maioria das empresas faz com todos seus funcionários, transformá-los em escravos assalariados pra continuarem dependendo daquilo e não saírem do lugar. Eu, no seu lugar, faria a mesma coisa! ^^
      Mais uma vez, obrigada mesmo pelo seu depoimento! Sei que a gente nem se conhece, mas te acho uma pessoa muito bacana e desde que conheci seu blog meu "santo bateu imediatamente com o seu" haha ♥
      bjin

      Excluir
  11. Eu passo por diversas fases. Já tive fase de deixar blog de lado por um tempo. Fases de depressão, de pensar se realmente a vida que levo é a vida que devo levar, ver que a vida que levo é muito boa e me faz bem, se eu deveria realmente ter me casado, depois ver que foi a melhor escolha que pude ter tido, dúvidas com relação a minha fé, fase de ter a fé firmada.. Mas considero a ultima fase que tenho vivido uma das mais importante que vivi. Fase em que aprendi o que realmente importa pra mim. E hoje o que realmente importa pra mim não é ser "bem sucedida" na carreira. Até porque já sou bem sucedida, eu realizo meu trabalho da forma correta sempre buscando dar o meu melhor. Hoje, depois de tudo que passei com meu esposo sabe o que eu realmente valorizo? Estarmos bem. Estarmos com saúde. Aproveitar o que é pequeno e tolo ao mundo, mas que pode ser lindo quando se observado bem a fundo. A felicidade de ter onde morar, de ter o que comer e de ter com quem compartilhar os meus dias, as minhas frustrações, as minhas tristezas, as minhas alegrias. Não é o ter que importa. É o viver que importa. Claro, conseguimos conquistar algumas coisas.. conforto, bem estar.. mas isso não é a chave.
    Nossa, só falei de mim '-'
    Espero que sua fase logo passe e você possa desfrutar da parte pós crise... que é ótima!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Aninha! ^^
      Mas essa fase já tá durando tanto tempo que às vezes acho que nem é fase mais... rs
      Mas espero, assim como você, me achar no meio disso tudo pra poder aproveitar o pós-crise... rs
      bjin

      Excluir
  12. Você descrever claramente como eu me sinto, tanto em relação ao mundo lá fora quanto aqui na internet. Interessante que eu fiz um post justamente sobre isso recentemente e não me sinto motivada a nada, mesmo que meu corpo diga ao contrário. É horrível ficar assim. Mas o meu conselho é foco, foco naquilo que te agrada, se apegue as coisas que te fazem feliz, mesmo que a ansiedade lhe diga o contrário. <3

    Beijos!

    madessy.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa.. é isso que eu tento viu.. focar no que me faz bem.. mas a falta de ânimo e vontade de fazer as coisas tá cada dia maior.. Tem dia que até acordo melhor, mas a medida que o dia vai passando esse peso volta a acumular. Sei lá, sensação horrível..
      Obrigada! ♥
      bjin

      Excluir

♥ LEIA a postagem antes de comentar.
♥ Sua opinião é super importante pra mim, por isso não deixe de comentar.
♥ Caso tenha alguma dúvida ou sugestão, é só deixar aí em baixo.
♥ Comentários ofensivos não serão aceitos. Serão excluídos e o usuário banido.