quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Livro: O Filho do Coveiro - Marcos Mota

Oi pessoas!
Tudo bem com vocês?
Espero que sim! :)

Hoje vim trazer mais um post de livros pra vocês!
Tô conseguindo colocar a leitura em dia e tô pensando em trazer um post de livro por semana (ou algo próximo a isso). Até porque tô com uma pilha enorme de livros acumulados para ler. O que acham?

Bom, mas vamos então ao livro de hoje, né!? O livro é o O Filho do Coveiro do autor Marcos Mota. Mais um autor brasileiro aí pra vocês. Abaixo a capa e sinopse do livro:


"Toda minha vida se passou em constante e íntimo contato com os mortos. Eu era o filho do coveiro. Minhas primeiras lembranças e as mais duras descobertas de minha vida aconteceram já em tenra idade no cemitério de São Cristóvão.

Sob pesadas penas, meu pai preparava as sepulturas, escavando a terra e escorando suas paredes, ora secas e quebradiças, ora lamacentas; porém sempre infestadas de insetos repugnantes, que insistiam em sair, furtivos, dos numerosos buracos e locas obscuras. O cemitério pertencia à Catedral Monsenhor, um templo de arquitetura neogótica, com seus arcos ogivais trabalhados e uma elevada nave central iluminada pela luz macilenta, filtrada e multicolorida pelos vitrais, que sempre refletiam no piso de cenas da história sagrada. Aquele era meu segundo lar na cidade mineira de Campo Verde. Estávamos no início do século XX."

Eu confesso que o teor do livro foi um pouco diferente do que eu esperava. Acho que por estar acostumada a ler muitas histórias de terror/horror/suspense, pela sinopse achei que tenderia mais pra esse lado. Mas na verdade é um romance sobre o filho do coveiro e como sua vida se passou sendo o que era.

Apesar de não ser o esperado, achei o livro bom. Mesmo com suas poucas páginas, 95, achei a história bem profunda. Talvez pelo fato do livro ser narrado em primeira pessoa, o filho do coveiro, e termos acesso a todos seus pensamentos e sentimentos, ele tenha conseguido essa profundidade. Única coisa que achei que poderia ser melhor é que a parte do romance do filho do coveiro com a moça em questão poderia ter sido um pouco mais explorada.

A história, como dito anteriormente, gira em torno desse personagem e sua vida. Como suas expectativas, atitudes e também sua fé mudaram seu destino teoricamente previsto, para o que ele realmente queria que fosse. E como isso impactou na vida não só dele, mas também de muitos dos que vivam naquela cidade àquela época.

Apesar de ter um vocabulário um pouco diferente, tanto pela época em que se passa o livro, tanto pelo fato do narrador ser o filho melancólico de um coveiro, a leitura flui rápida e é mais um daqueles que se lê em uma sentada.

Se você gosta de um pouco de melancolia, de personagens que se reinventam e mudam seu próprio destino e romances, então eu recomendo esse livro para você.

Sobre a diagramação, páginas amareladas e letras em tamanho normal, o que ajuda muito na leitura. Nenhuma ilustração além da da capa e o autor explica o motivo no início do livro. A única coisa de diferente que tem são pequenos desenhos em cima do título de cada novo capítulo, como podem ver abaixo. Todos os desenhos tem a ver com o que acontece no capítulo.


Esse livro eu comprei na Bienal do Livro de Minas Gerais e vou deixar a seguir o contato do autor para quem se interessar, saber um pouco mais: - Site -

E é isso pessoal! Espero que tenham gostado!
Me contem vocês, quem aí já leu ou ouviu falar desse livro? O que acharam?


Beijos e até o próximo post! ;***


 ♥ Se gostou desse post, não se esqueça de seguir o blog e deixar seu comentário.
Assim você me ajuda na divulgação! :) ♥
Me siga nas redes sociais:
Follow me on the social medias:

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Outfit: Dark Mermaid

Olá pessoas!
Tudo bem com vocês?
Espero que sim! :)

E aí, como passaram de final de semana?
O meu foi tranquilo. Saí no sábado pra resolver algumas coisas e depois só fiquei em casa mesmo.
Pra ser sincera, ando um pouco desanimada. Tanto que vocês podem ver que já parei com os vídeos again... mas agora não tô me cobrando mais. O dia que der vontade eu faço, o dia que não tiver afim fica sem fazer mesmo. Não vou ficar me sentindo culpada por isso se não a bad vem com tudo... rs

Mas enfim, o post de hoje é mais um de look. Não desse final de semana, mas do de antes. Usei esse look pra ir numa festa que teve num pub aqui de BH. A festa era a "Emopalooza" e foi muito bom relembrar os velhos tempos... rs

Sim gente, pra quem não sabe, eu era emo. E foi bem legal ouvir todas as músicas que fizeram minha adolescência novamente. Eu pude perceber que naquela época eu era feliz e não sabia... rs
Deu bastante nostalgia.... Enfim, vamos as fotos, né!?







Participação especial do amor da minha vida ♥



Calça: SheIn / Coturno: Vilela Boots & Shoes / Colar: Ravenous [cupom 10% off: monevenzel] / Pulseiras: Fique Bella Acessórios / Tattoo choker, anéis de estrela-do-mar e de concha e presilha de estrela-do-mar: eBay / O resto foi de lojinhas de bairro e feira shop


Uma sereia darkzinha pra vocês. Pra quem acha que sereia é só aquela coisa meiga, fofa e em tons pastéis... tô aqui nesse mundo pra quebrar as regras mesmo. Que se dane o resto.

E por hoje foi isso. Me contem aí o que acharam do look. ^^


Beijos e até o próximo post! ;***



 ♥ Se gostou desse post, não se esqueça de seguir o blog e deixar seu comentário.
Assim você me ajuda na divulgação! :) ♥
Me siga nas redes sociais:
Follow me on the social medias:

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Outfit: Looks da Semana: A Ocasião Quem Faz é A Gente + Sendo Alternativa no Serviço + Devaneios

Oi gente!
Tudo bem com vocês?
Espero que sim! :)

Essa semana resolvi fazer uma mudança na minha vida e resolvi compartilhar com vocês aqui também, por motivos de vontade de falar... rs

Sabe, outro dia, arrumando algumas coisas no guarda-roupa, tirando algumas coisas que não usava mais e tal, parei pra pensar em quanta roupa que eu gostava e estava parada nos cabides esperando uma oportunidade para serem usadas. Eram mais, especificamente, algumas blusas com estampas legais, mas que eu julgava não serem adequadas para o serviço. E outras roupas mais ousadas que são realmente pros rolês da vida. E também tinha algumas maquiagens vencendo que eu se quer tinha usado ainda. Então parei pra pensar no quê que eu estava fazendo. Porque não usar aquelas coisas?

Tudo bem, eu quase não estava saindo pra lugar nenhum nos últimos tempos, por isso não estava usando aquelas coisas, mas poxa, eu saía todo dia pra ir pro serviço, porque não usar algumas daquelas blusas pra ir trabalhar? No meu serviço não se exige um traje formal nem nada, então porque não usar algumas daquelas blusas? Elas não eram nada ousadas, eram apenas camisetas simples com uma estampa ou detalhe diferente. Será mesmo que alguém não me deixaria trabalhar só por estar com aquela blusa da estampa de caveira diferentona? Bom, acho que não, até porque já tem 4 anos que tô trabalhando nesse lugar (QUATRO ANOS!!! #socorro) e as pessoas já devem ter percebido que não é minha aparência que determina meu trabalho.

As blusas estavam paradas esperando uma "oportunidade" para serem usadas. E daí quando eu resolvia sair pensava em usar elas, mas também tinham as "roupas dos rolês". Será que o rolê não era especial o suficiente pra aquele vestido arrasador? Oi? Não, pera, tem uma coisa errada aí. Desde quando é o rolê que determina sua roupa. Achei que fosse seu estilo e sua vontade de usar, né não? É, é isso mesmo. Então tem um trem aí que precisa ser mudado. E foi assim que eu decidi que precisava de uma mudança na minha vida. Mas não era só em questão de usar ou não usar uma blusa pra ir trabalhar e sim uma mudança no pensamento.

Lembrei de como eu era há alguns anos atrás. Usava uma "roupa super escandalosa" pra fazer um simples passeio na praça sem nem ligar pra nada. Quando foi que isso mudou? Céus, eu já tava mesmo caindo no papinho sórdido da sociedade? "Você precisa se adequar", eles disseram...

E foi assim que eu resolvi que quem faz o momento é a gente. E daí que eu só tô indo na padaria às 6h da manhã com um olho preto super esfumado e um batom vermelho? E daí que eu vou dar um passeio no shopping com aquele "vestido de festa"? E daí gente? Não são as roupas que eu gosto? Por que não usá-las? Por que se importar com o lugar se o que importa mesmo é você se sentir bem e você mesma?

Essa semana que se passou comecei a colocar isso em prática. Alguns dias da semana já consegui me maquiar antes de sair pra trabalhar (outros não por motivos de dormi mais que o despertador). E fazia a maquiagem do jeito que eu queria. Um olho preto mais forte, outro dia uma sombra colorida combinando com o detalhe da roupa. Tirei a poeira daquelas blusas legais que davam sim pra ir trabalhar e comecei a usar. Farei isso com alguns vestidos e saias que não forem muito curtos também. E vou continuar seguindo por esse caminho. Às vezes a gente se perde no meio de tanto bombardeio, mas parar pra refletir de vez em quando sobre quem a gente realmente é e sobre como estamos levando nossa vida, que é tão curta e passageira, é super importante pra que no último dia de nossas vidas tenhamos a certeza de que nada poderia ter sido melhor do que foi.

E pra você que gostaria de ser mais alternativo no serviço eu dou a mesma dica. Se seu serviço não exigir roupas formais ou uniforme, abuse de peças com estampas e cortes legais. Abuse dos sapatos diferentões. E os acessórios maravilhosos? Usa tudo! E se por acaso seu serviço exige a roupa formal ou o uniforme, abuse dos acessórios e sapatos. Sabe aquela bolsa super legal com uma pegada alternativa? Usa ela. Sabe aquele colar em formato de morcego? Usa ele! Sabe aquele scarpin com alguns spikes no salto? Usa ele! E você também pode achar roupas formais com pegadas alternativas. Procure em lojas alternativas que garanto que achará alguma peça usável por lá! Use sua criatividade. Tenho certeza que você tem muito dela guardada aí dentro.

E pra terminar, vou deixar algumas selfies que fiz no espelho do banheiro do serviço com os looks da semana. Nas fotos só dá pra ver a parte cima do tronco, mas eu estava usando calça legging preta e sapatilha em todos eles. Dos saltos eu ainda não abuso porque tenho que dar uma andadinha boa até o serviço, então fico na preguiça.. rs
Mas os tênis e as botas sem salto estão aí pra isso!

Colar: Ravenous [cupom 10% off: monevenzel]
Colar: Ravenous [cupom 10% off: monevenzel] -
Blusa: Cha Tarot & Bruxaria [cupom 12% off: monevenzel]
 
Colar: Ravenous [cupom 10% off: monevenzel]
Colar: Ravenous [cupom 10% off: monevenzel]

E é isso gente! Espero que tenham gostado do meu devaneio/desabafo/texto motivacional da vez... rs
E espero, de coração, que eu possa ter ajudado/inspirado alguém que esteja passando pela mesma coisa.


Beijos e até o próximo post! ;***



 ♥ Se gostou desse post, não se esqueça de seguir o blog e deixar seu comentário.
Assim você me ajuda na divulgação! :) ♥
Me siga nas redes sociais:
Follow me on the social medias:

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Livro: O Mistério da Mata da Alpineia - Laços de Sangue - Ariálisson Freitas

Oi gente!
Tudo bem com vocês?
Espero que sim! :)

Hoje tô trazendo um post que faz tempo que não tem por aqui, resenha de livro.
Tava andando super parada nas leituras, mas agora consegui sair do limbo e vou dar um gás nisso. Vamos ver quantos conseguirei ler de agora até o final do ano, né!? ^^

Enfim, o livro de hoje é de autor nacional e chama-se O Mistério da Mata da Alpineia - Laços de Sangue, do autor Ariálisson Freitas. Vamos primeiro a capa e a sinopse então:


"Para muito, a Mata da Alpineia é um lugar perigoso, cheio de histórias assustadoras e um tanto hostil. Não para Pedro, que além de chamar atenção por morar perto de um lugar tão medonho, se vê excluído por não possuir uma das pernas.

Preocupado com o início do ano letivo, o garoto imagina como será o convívio com os alunos do sexto ano, agora que ele vai estudar na escola regular.

Sob outra perspectiva, Dalila também se prepara para reencontrar os amigos no início das aulas. Cansada de ficar em casa, quer logo voltar aos estudos para poder dividir os prazeres e os desprazeres da juventude. Mas este ano ela terá um colega diferente, que se move sobre muletas.

Estarão os garotos preparados para receber um deficiente entre seus pares?"

Bom, esse é um livro sobre folclore brasileiro e é um livro mais infanto-juvenil. Mas isso não o torna menos interessante. Achei a ideia de mexer nas nossas próprias lendas muito bacana, afinal de contas quase não vemos histórias sobre isso por aí.

Apesar de ser um livro para pessoas mais jovens e de um tema que pode não ser do interesse de todos, não é esse o ponto negativo no livro. O que eu achei de negativo foi que a história ficou muito corrida. Alguns acontecimentos poderiam ter sido beem mais explorados e desenvolvidos. Alguns pontos, inclusive, ficaram soltos na história. Quando mencionados, davam a entender que mais pra frente seria revelado algum segredo ou até mesmo talvez um futuro romance, mas nada mais se falou sobre então ficou por isso mesmo.

Mas tirando esse detalhe, o livro é bem legal. De leitura fácil, daquelas que numa sentada você lê, ele pode ser um ótimo início para nos aprofundarmos nas lendas do nosso próprio país, que são riquíssimas e super interessantes, diga-se de passagem.

O fato de, no início, falar sobre deficiência física e acessibilidade também foi bem interessante. Acho que seria legal termos mais histórias voltadas a esse assunto, para assim ajudar a conscientizar mais os leitores sobre as dificuldades de quem possui alguma deficiência física.

Sobre a diagramação, é bem simples. Letras em tamanho normal, nada pequeno de mais nem nada grande, páginas amareladas, o que facilita a leitura e pequenos desenhos simples nos finais dos capítulos .



Enfim, é isso. Recomendo a leitura pra quem quer algo leve pra passar o tempo ou até mesmo pra curar alguma ressaca literária.

Esse livro eu comprei direto com o autor na Bienal do Livro de Minas Gerais e vou deixar a seguir o contato dele para quem se interessar, saber um pouco mais: - Facebook -

E é isso pessoal! Espero que tenham gostado!
Me contem vocês, quem aí já leu ou ouviu falar desse livro? O que acharam?


Beijos e até o próximo post! ;***


 ♥ Se gostou desse post, não se esqueça de seguir o blog e deixar seu comentário.
Assim você me ajuda na divulgação! :) ♥
Me siga nas redes sociais:
Follow me on the social medias: