quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Livro: O Filho do Coveiro - Marcos Mota

Oi pessoas!
Tudo bem com vocês?
Espero que sim! :)

Hoje vim trazer mais um post de livros pra vocês!
Tô conseguindo colocar a leitura em dia e tô pensando em trazer um post de livro por semana (ou algo próximo a isso). Até porque tô com uma pilha enorme de livros acumulados para ler. O que acham?

Bom, mas vamos então ao livro de hoje, né!? O livro é o O Filho do Coveiro do autor Marcos Mota. Mais um autor brasileiro aí pra vocês. Abaixo a capa e sinopse do livro:


"Toda minha vida se passou em constante e íntimo contato com os mortos. Eu era o filho do coveiro. Minhas primeiras lembranças e as mais duras descobertas de minha vida aconteceram já em tenra idade no cemitério de São Cristóvão.

Sob pesadas penas, meu pai preparava as sepulturas, escavando a terra e escorando suas paredes, ora secas e quebradiças, ora lamacentas; porém sempre infestadas de insetos repugnantes, que insistiam em sair, furtivos, dos numerosos buracos e locas obscuras. O cemitério pertencia à Catedral Monsenhor, um templo de arquitetura neogótica, com seus arcos ogivais trabalhados e uma elevada nave central iluminada pela luz macilenta, filtrada e multicolorida pelos vitrais, que sempre refletiam no piso de cenas da história sagrada. Aquele era meu segundo lar na cidade mineira de Campo Verde. Estávamos no início do século XX."

Eu confesso que o teor do livro foi um pouco diferente do que eu esperava. Acho que por estar acostumada a ler muitas histórias de terror/horror/suspense, pela sinopse achei que tenderia mais pra esse lado. Mas na verdade é um romance sobre o filho do coveiro e como sua vida se passou sendo o que era.

Apesar de não ser o esperado, achei o livro bom. Mesmo com suas poucas páginas, 95, achei a história bem profunda. Talvez pelo fato do livro ser narrado em primeira pessoa, o filho do coveiro, e termos acesso a todos seus pensamentos e sentimentos, ele tenha conseguido essa profundidade. Única coisa que achei que poderia ser melhor é que a parte do romance do filho do coveiro com a moça em questão poderia ter sido um pouco mais explorada.

A história, como dito anteriormente, gira em torno desse personagem e sua vida. Como suas expectativas, atitudes e também sua fé mudaram seu destino teoricamente previsto, para o que ele realmente queria que fosse. E como isso impactou na vida não só dele, mas também de muitos dos que vivam naquela cidade àquela época.

Apesar de ter um vocabulário um pouco diferente, tanto pela época em que se passa o livro, tanto pelo fato do narrador ser o filho melancólico de um coveiro, a leitura flui rápida e é mais um daqueles que se lê em uma sentada.

Se você gosta de um pouco de melancolia, de personagens que se reinventam e mudam seu próprio destino e romances, então eu recomendo esse livro para você.

Sobre a diagramação, páginas amareladas e letras em tamanho normal, o que ajuda muito na leitura. Nenhuma ilustração além da da capa e o autor explica o motivo no início do livro. A única coisa de diferente que tem são pequenos desenhos em cima do título de cada novo capítulo, como podem ver abaixo. Todos os desenhos tem a ver com o que acontece no capítulo.


Esse livro eu comprei na Bienal do Livro de Minas Gerais e vou deixar a seguir o contato do autor para quem se interessar, saber um pouco mais: - Site -

E é isso pessoal! Espero que tenham gostado!
Me contem vocês, quem aí já leu ou ouviu falar desse livro? O que acharam?


Beijos e até o próximo post! ;***


 ♥ Se gostou desse post, não se esqueça de seguir o blog e deixar seu comentário.
Assim você me ajuda na divulgação! :) ♥
Me siga nas redes sociais:
Follow me on the social medias:

6 comentários:

  1. Oi, Mone!
    Adoro livros em primeira pessoa. Acho tão mais pessoal!
    Muito legal a sua resenha. Como eu leio de tudo um pouco, todos os gêneros (menos terrorzão porque sou medrosa, hahaha), achei esse bem interessante.
    E adoro o fato de livros tão diferentes entre os autores brasileiros.

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho super bacana essa variedade de livros nacionais. Muito bom mesmo! Só espero que sejam mais valorizados, né..
      Também gosto de livros em primeira pessoa. É uma visão totalmente particular da história. Acho bem legal.
      Obrigada!
      bjin

      Excluir
  2. Bloguinho com fundo novo!
    *-*
    Sempre gosto de mudar tb, ja estou com faniquitos!
    Acho que tambem iria ficar meio "?" com a história do livro, pq parece uma coisa e no fim é outra né? :P

    Memórias de uma Guerreira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim.. rs
      Acho que agora, finalmente, tá mais a minha cara! ^^
      E acho que não mudo tão cedo agora mais... rs
      Pois é. Mas o bom é que a história era boa de qualquer jeito, né. Só aí já valeu a pena. ^^
      bjin

      Excluir
  3. Mone, adorei a resenha tá bem completinha! não conhecia o livro parece ser mt bom! faz tanto tempo que não leio nada que dá até vergonha de falar hahahaa

    www.blogamorarosa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Grazi!
      Eu também tava muito mal de leitura, mas finalmente tô voltando ao meu ritmo normal. Amo ler, não posso perder esse hábito mais. ^^
      bjin

      Excluir

♥ LEIA a postagem antes de comentar.
♥ Sua opinião é super importante pra mim, por isso não deixe de comentar.
♥ Caso tenha alguma dúvida ou sugestão, é só deixar aí em baixo.
♥ Comentários ofensivos não serão aceitos. Serão excluídos e o usuário banido.